27 Outubro 2017
Categoria Notícias

INFORMAÇÃO AOS ACCIONISTAS

Para leitura do documento click AQUI.
27 Outubro 2017
Categoria Notícias
LER MAIS
 acionistas
27 Outubro 2017
Categoria Notícias

INFORMAÇÃO AOS ACCIONISTAS

Para leitura do documento click AQUI.
27 Outubro 2017
Categoria Notícias
Voltar

Porque é que uma viagem nas alturas pode causar complicações à nossa audição?

 Problemas auditivos no aviao
01 Fevereiro 2017
Categoria Notícias

Porque é que uma viagem nas alturas pode causar complicações à nossa audição?

As viagens de avião ocorrem em grandes altitudes, normalmente em torno dos 10.000 metros de altura. Convém assim recordar algumas leis da física: à medida que a altitude aumenta, a pressão do ar diminui. Ora, para evitar que os passageiros se sintam mal, as cabines dos aviões são pressurizadas como se estivéssemos a uma altitude equivalente aos 2.000 metros acima do nível do mar. Por causa da diminuição da pressão, a presença do oxigênio no ar diminui e os gases dentro do nosso corpo aumentam de volume. 


Normalmente, as pessoas conseguem suportar bem a mudança de pressão até determinados níveis, mas mesmo assim podem acontecer problemas nos ouvidos.

Dentro do ouvido médio, a pressão normalmente é igual à de fora do nosso corpo. Sempre que a pressão da cabine do avião desce, cria-se uma diferença de pressão entre o ouvido médio e o ambiente da cabine. Esta situação bloqueia a trompa de Eustáquio e pode provocar a sensação de ouvido tapado e uma complicação chamada de barotrauma. Sempre que isso acontecer, o passageiro sente uma pressão forte dentro do ouvido e, por vezes, dor. Neste caso será necessário “desentupir” os ouvidos.

Que medidas se devem tomar para prevenir estes problemas?

O risco pode ser reduzido com manobras que promovam a abertura da trompa de Eustáquio, como por exemplo, através da ativação dos músculos da mastigação e da deglutição ou do aumento forçado suave da pressão da nasofaringe. Assim, são estes os nossos conselhos para prevenir, ou resolver, estes sintomas: 

  • Mobilizar a musculatura de mastigação e deglutição durante os procedimentos de decolagem e aterragem (mastigar e deglutir algum alimento, uma pastilha, beber pequenas quantidades de líquidos). As crianças devem ingerir líquidos
  • Manobra de Valsalva (expiração suavemente forçada, com a boca fechada e os dedos comprimindo o nariz)

E se os ouvidos não “desbloquearem”?

Se algumas horas depois de sair do avião os seus ouvidos continuarem “bloqueados” ou a dor persistir, deve consultar um médico otorrinolaringologista. 
Uma nota final para referir que os utilizadores de aparelho auditivo, idealmente, devem retirá-lo durante o trajeto de avião e só voltar a coloca-lo quando chegarem ao destino.

Todas as informações contidas neste texto possuem um caráter informativo, não substituindo, em hipótese alguma, as orientações de seu médico.

01 Fevereiro 2017
Categoria Notícias