Fadiga e má disposição consequências da falta de aparelho auditivo.
02 Janeiro 2017
Categoria Notícias

Fadiga e má disposição são uma das consequências da falta de utilização de um aparelho auditivo

Fadiga severa e problemas relacionados com a disposição são comuns entre os que, registando perda auditiva, não utilizam um aparelho auditivo para os ajudar. Este é a principal aprendizagem que se pode retirar de um estudo realizado por pesquisadores do departamento auditivo e da ciência da fala da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos da América.


O estudo revelou também que os adultos que procuraram ajuda para ultrapassar as suas dificuldades auditivas eram menos propensos a relatar um baixo vigor e cansaço. A investigação concluiu que as consequências psicológicas negativas e a perda auditiva estão fortemente associadas com as avaliações subjetivas de fadiga e que a utilização regular de um aparelho auditivo melhora a qualidade de vida e reduz os impactos negativos da própria perda auditiva.

De uma forma geral, destacaram-se também como efeitos positivos da utilização de um aparelho auditivo, a melhoria da vida social dos seus utilizadores, a participação em atividades de grupo e nas relações familiares.

Fontes: www.audiology-worldnews.com, www.ehima.com (EuroTrak) “Evaluation of the Social and Economic Costs of Hearing Impairment", Hear-it AISBL

 

02 Janeiro 2017
Categoria Notícias
Voltar

Utilização de aparelho auditivo reduz o declínio cognitivo

 Utilização de aparelho auditivo reduz o declínio cognitivo.
12 Novembro 2016
Categoria

Utilização de aparelho auditivo reduz o declínio cognitivo

A perda auditiva acelera o declínio cognitivo em adultos, mas a utilização de um aparelho auditivo parece impedir essa aceleração. Esta é uma das principais conclusões a que chegou o estudo científico PAQUID, realizado em França, em que participaram 3.670 pessoas escolhidas, aleatoriamente, com a idade igual e superior a 65 anos. O estudo foi iniciado em 1989 e dirigido pela professora Hélène Amieva da Université Victor Segalen Bordeaux 2, e os participantes foram avaliados, regularmente, durante 25 anos
 

A investigação realizada revela que a perda auditiva está associada a um aceleramento do declínio cognitivo nas pessoas adultas. Contudo, uma tendência contrária é observada nos participantes que usaram um aparelho auditivo, visto que nessas pessoas esse declínio não era significantemente diferente ao do grupo de controle (os que não tinham nenhuma perda auditiva). 

O estudo não comprova, no entanto, que a perda auditiva tem um efeito direto no declínio cognitivo, mas sim que as consequências mentais e sociais da perda auditiva têm uma certa relação com esse mesmo declínio.

Portanto, ao melhorar a sua habilidade auditiva, com a utilização de um aparelho auditivo ou um implante coclear, os indivíduos reduziram os efeitos negativos mentais da sua perda auditiva e, simultaneamente, aumentam a sua habilidade em participar em atividades sociais, diminuindo assim o seu declínio cognitivo. 


Fonte: Hear-it.org

12 Novembro 2016
Categoria