24 Março 2017
Categoria

Perda auditiva não diagnosticada pode aumentar isolamento social

Um estudo recente realizado pela Universidade de Columbia Britânica no Canadá (University of British Columbia, UBC), publicado na revista Ear and Hearing, revelou que a perda auditiva desconhecida e não tratada está associada a um aumento significante de risco de isolamento social, em especial em pessoas com idades compreendidas entre 60 e 69 anos de idade. 
24 Março 2017
Categoria
LER MAIS
24 Março 2017
Categoria

Perda auditiva não diagnosticada pode aumentar isolamento social

Um estudo recente realizado pela Universidade de Columbia Britânica no Canadá (University of British Columbia, UBC), publicado na revista Ear and Hearing, revelou que a perda auditiva desconhecida e não tratada está associada a um aumento significante de risco de isolamento social, em especial em pessoas com idades compreendidas entre 60 e 69 anos de idade. 
24 Março 2017
Categoria
LER MAIS
Voltar

Novos conhecimentos para a compreensão do tinnitus

 Novos conhecimentos para compreensão de tinnitus
10 Novembro 2016
Categoria Notícias

Novos conhecimentos para a compreensão do tinnitus

Um estudo publicado na eLife, uma revista americana científica voltada para ciências da vida e biomédicas, revelou recentemente novas descobertas para o entendimento do tinnitus e da hiperacusia. 

As causas de tinnitus ainda são desconhecidas, mas agora cientistas de diversas universidades internacionais dos Estados Unidos da América, China e Canadá, apresentaram novos conhecimentos que permitirão um melhor entendimento destas patologias. Espera-se que estes novos dados possam conduzir, num futuro próximo, a um melhor e mais eficaz tratamento do tinnitus, que frequente causa hiperacusia.

Os resultados do estudo sugerem que a rede neural responsável pelo tinnitus é mais abrangente do que se imaginava. Esta informação vai agora permitir o desenvolvimento de modelos que identifiquem qual região ou regiões do cérebro que podem ser responsáveis pela causa de tinnitus e hiperacusia.

Onde e como o tinnitus ocorre no cérebro ainda não se sabe ao certo, mas Richard Salvi, um dos autores do estudo e diretor da universidade de Buffalo University of Buffalo’s Center for Hearing and Deafness, afirmou que alguns estudos, utilizando ressonâncias magnéticas, mostram que a atividade anormal implícita do tinnitus e da hiperacusia não está limitada a uma região específica do cérebro, na verdade envolve a região da rede neural.

Para além da perda auditiva muitos pacientes comunicam também que padecem de stress e ansiedade com o surgimento de tinnitus, prejudicando assim grandemente a sua vida diária.

Fonte:www.buffalo.edu

Nov 10th 2016
Categoria Notícias