Intervenção precoce beneficia crianças com perda auditiva
12 Novembro 2016
Categoria

Intervenção precoce beneficia crianças com perda auditiva

O desenvolvimento da linguagem em crianças com perda auditiva melhora significativamente com uma intervenção precoce, segundo os resultados de um estudo conduzido por pesquisadores das University of Iowa e University of North Carolina at Chapel Hill, nos Estados Unidos da América.

Os pesquisadores constataram que crianças com perda auditiva leve e severa têm uma linguagem mais precária e que o consequente impacto na linguagem aumenta à medida que a perda auditiva cresce. O estudo também revelou que se se proporcionar a estas crianças uma boa adaptação a um aparelho auditivo, regista-se então um melhor desenvolvimento na sua linguagem.

O estudo descobriu que muitas das crianças analisadas com problemas auditivos sérios, que tiveram assistência médica precocemente, foram capazes de recuperar e de se aproximar dos seus colegas com audição normal, em termos do desenvolvimento da linguagem”, acrescentou Bruce Tomblin, professor da Universidade de Iowa, Department of Communication Sciences and Disorders.

Fonte: www.medicalxpress.com

12 Novembro 2016
Categoria
Voltar

Novos conhecimentos para a compreensão do tinnitus

 Novos conhecimentos para compreensão de tinnitus
10 Novembro 2016
Categoria Notícias

Novos conhecimentos para a compreensão do tinnitus

Um estudo publicado na eLife, uma revista americana científica voltada para ciências da vida e biomédicas, revelou recentemente novas descobertas para o entendimento do tinnitus e da hiperacusia. 

As causas de tinnitus ainda são desconhecidas, mas agora cientistas de diversas universidades internacionais dos Estados Unidos da América, China e Canadá, apresentaram novos conhecimentos que permitirão um melhor entendimento destas patologias. Espera-se que estes novos dados possam conduzir, num futuro próximo, a um melhor e mais eficaz tratamento do tinnitus, que frequente causa hiperacusia.

Os resultados do estudo sugerem que a rede neural responsável pelo tinnitus é mais abrangente do que se imaginava. Esta informação vai agora permitir o desenvolvimento de modelos que identifiquem qual região ou regiões do cérebro que podem ser responsáveis pela causa de tinnitus e hiperacusia.

Onde e como o tinnitus ocorre no cérebro ainda não se sabe ao certo, mas Richard Salvi, um dos autores do estudo e diretor da universidade de Buffalo University of Buffalo’s Center for Hearing and Deafness, afirmou que alguns estudos, utilizando ressonâncias magnéticas, mostram que a atividade anormal implícita do tinnitus e da hiperacusia não está limitada a uma região específica do cérebro, na verdade envolve a região da rede neural.

Para além da perda auditiva muitos pacientes comunicam também que padecem de stress e ansiedade com o surgimento de tinnitus, prejudicando assim grandemente a sua vida diária.

Fonte:www.buffalo.edu

10 Novembro 2016
Categoria Notícias