Intervenção precoce beneficia crianças com perda auditiva
12 Novembro 2016
Categoria

Intervenção precoce beneficia crianças com perda auditiva

O desenvolvimento da linguagem em crianças com perda auditiva melhora significativamente com uma intervenção precoce, segundo os resultados de um estudo conduzido por pesquisadores das University of Iowa e University of North Carolina at Chapel Hill, nos Estados Unidos da América.

Os pesquisadores constataram que crianças com perda auditiva leve e severa têm uma linguagem mais precária e que o consequente impacto na linguagem aumenta à medida que a perda auditiva cresce. O estudo também revelou que se se proporcionar a estas crianças uma boa adaptação a um aparelho auditivo, regista-se então um melhor desenvolvimento na sua linguagem.

O estudo descobriu que muitas das crianças analisadas com problemas auditivos sérios, que tiveram assistência médica precocemente, foram capazes de recuperar e de se aproximar dos seus colegas com audição normal, em termos do desenvolvimento da linguagem”, acrescentou Bruce Tomblin, professor da Universidade de Iowa, Department of Communication Sciences and Disorders.

Fonte: www.medicalxpress.com

12 Novembro 2016
Categoria
Voltar

Medicamentos podem causar deficiência auditiva

 Medicamentos podem causar deficiência auditiva
03 Novembro 2016
Categoria Notícias

Medicamentos podem causar deficiência auditiva

Certos tipos de fármacos à venda no mercado podem causar deficiência auditiva temporária ou permanentemente. Segundo a Americana Speech-Language-Hearing Association (ASHA), nos Estados Unidos da América foram identificados mais de 200 medicamentos causadores de diversos tipos de deficiências auditivas

Os medicamentos ototóxicos, usados parar tratamento de infeções mais graves, de tumores e de doenças cardíacas, por exemplo, são alguns dos visados. Entre eles, incluem-se alguns tipos de antibióticos aminoglicosídicos; especialmente a gentamicina, a streptomicina e a neomicina; as drogas usadas em quimioterapias, como a ciclosfosmida, a cisplatina, a bleomicina e a carboplatina; e outros tipos de medicamentos como a furosemida e a bumetanida, utilizados no tratamento da tensão arterial elevada e da insuficiência cardíaca. 

A perda auditiva, que se concretiza quando os fármacos começam a danificar as células sensoriais da cóclea no ouvido interno, é mais comum entre pessoas com doenças renais ou com problemas auditivos anteriores, segundo um site americano, WebMD.com. Neste website, responsável pela transmissão de informação sobre saúde, poderá também encontrar a lista dos medicamentos acima visados.

Fonte: www.daily-chronicle.com

03 Novembro 2016
Categoria Notícias