24 Março 2017
Categoria

Perda auditiva não diagnosticada pode aumentar isolamento social

Um estudo recente realizado pela Universidade de Columbia Britânica no Canadá (University of British Columbia, UBC), publicado na revista Ear and Hearing, revelou que a perda auditiva desconhecida e não tratada está associada a um aumento significante de risco de isolamento social, em especial em pessoas com idades compreendidas entre 60 e 69 anos de idade. 
24 Março 2017
Categoria
LER MAIS
24 Março 2017
Categoria

Perda auditiva não diagnosticada pode aumentar isolamento social

Um estudo recente realizado pela Universidade de Columbia Britânica no Canadá (University of British Columbia, UBC), publicado na revista Ear and Hearing, revelou que a perda auditiva desconhecida e não tratada está associada a um aumento significante de risco de isolamento social, em especial em pessoas com idades compreendidas entre 60 e 69 anos de idade. 
24 Março 2017
Categoria
LER MAIS
Voltar

Intervenção precoce beneficia crianças com perda auditiva

 Intervenção precoce beneficia crianças com perda auditiva
12 Novembro 2016
Categoria Notícias

Intervenção precoce beneficia crianças com perda auditiva

O desenvolvimento da linguagem em crianças com perda auditiva melhora significativamente com uma intervenção precoce, segundo os resultados de um estudo conduzido por pesquisadores das University of Iowa e University of North Carolina at Chapel Hill, nos Estados Unidos da América.

Os pesquisadores constataram que crianças com perda auditiva leve e severa têm uma linguagem mais precária e que o consequente impacto na linguagem aumenta à medida que a perda auditiva cresce. O estudo também revelou que se se proporcionar a estas crianças uma boa adaptação a um aparelho auditivo, regista-se então um melhor desenvolvimento na sua linguagem.

O estudo descobriu que muitas das crianças analisadas com problemas auditivos sérios, que tiveram assistência médica precocemente, foram capazes de recuperar e de se aproximar dos seus colegas com audição normal, em termos do desenvolvimento da linguagem”, acrescentou Bruce Tomblin, professor da Universidade de Iowa, Department of Communication Sciences and Disorders.

Fonte: www.medicalxpress.com

Nov 25th 2016
Categoria Notícias