Fadiga e má disposição consequências da falta de aparelho auditivo.
02 Janeiro 2017
Categoria Notícias

Fadiga e má disposição são uma das consequências da falta de utilização de um aparelho auditivo

Fadiga severa e problemas relacionados com a disposição são comuns entre os que, registando perda auditiva, não utilizam um aparelho auditivo para os ajudar. Este é a principal aprendizagem que se pode retirar de um estudo realizado por pesquisadores do departamento auditivo e da ciência da fala da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos da América.


O estudo revelou também que os adultos que procuraram ajuda para ultrapassar as suas dificuldades auditivas eram menos propensos a relatar um baixo vigor e cansaço. A investigação concluiu que as consequências psicológicas negativas e a perda auditiva estão fortemente associadas com as avaliações subjetivas de fadiga e que a utilização regular de um aparelho auditivo melhora a qualidade de vida e reduz os impactos negativos da própria perda auditiva.

De uma forma geral, destacaram-se também como efeitos positivos da utilização de um aparelho auditivo, a melhoria da vida social dos seus utilizadores, a participação em atividades de grupo e nas relações familiares.

Fontes: www.audiology-worldnews.com, www.ehima.com (EuroTrak) “Evaluation of the Social and Economic Costs of Hearing Impairment", Hear-it AISBL

 

02 Janeiro 2017
Categoria Notícias
Voltar

Descoberto o gene causador da otosclerose

 Descoberto o gene da Otosclerose
12 Outubro 2016
Categoria Notícias

Descoberto o gene causador da otosclerose

Cientistas do Ear Institute at University College of London acabam de revelar um estudo que revela a descoberta do gene causador de otosclerose, o SERPINF1. Esta fantástica descoberta é mais um passo em direção ao tratamento desta doença, que causa frequentemente uma diminuição auditiva.

A otosclerose é uma doença hereditária que afeta uma entre duzentas pessoas, resultando numa perda auditiva condutiva. É causada por um crescimento anormal de um osso no ouvido médio, o qual evita que o estribo vibre normalmente em resposta ao estimulo sonoro. Os sintomas mais frequentes desta patologia são tonturas, dificuldades de equilíbrio, vertigens, perda auditiva e tinnitus.

Muito embora seja necessário efetuar uma cirurgia para minimizar os sintomas da otosclerose, para remoção dos ossículos afetados, substituindo-os então por próteses, a utilização de um aparelho auditivo é recomendada durante todo o processo, uma vez que suprime a perda auditiva e minimiza os efeitos da perda auditiva no cérebro.    

Fonte:www.ncbi.nlm.nih.gov

12 Outubro 2016
Categoria Notícias